Colégio PoliBrasil conquista pais e alunos com Método Ativo de Ensino

Colégio PoliBrasil conquista pais e alunos com Método Ativo de Ensino

Metodologia aumenta a capacidade de absorção de conteúdos de maneira

 autônoma e participativa

ensf

A escola do seu filho sabe lidar com a sua mente ativa e conectada? Aulas tradicionais, cujo professor é o sujeito ativo no processo de ensino-aprendizagem são desestimulantes e chatas para a maioria dos alunos. Para suprir a necessidade de inovação exigida pelas novas gerações, o Colégio PoliBrasil passou a adotar o método ativo de ensino, que fomenta uma aprendizagem eficiente, com alunos ocupando o centro da aprendizagem e professores se tornando facilitadores do conhecimento.

“Nos tempos atuais, crianças e jovens interagem com o mundo de maneira completamente diferente de seus pais e avós. Eles são conectados, acessam o celular, tablet e outras tecnologias sem dificuldades. Assistem a diversos vídeos ao mesmo tempo, mudam o canal da TV, voltam para o programa anterior e estão com a mente plugada 24 horas ao dia. Eles são sedentos de conhecimento imediato, rápido, interativo e interessante e a escola deve acompanhar essas mudanças”, afirmou Fernanda Andreello, vice-diretora do Colégio PoliBrasil.

Para ela, os métodos ativos aumentam a capacidade de absorção de conteúdos de maneira autônoma e participativa. “Os alunos adquirem mais autonomia, tornam-se mais confiantes e aptos a resolverem problemas, tornando-se protagonistas do seu aprendizado.”

O método ativo inclui uma somatória de estratégias didáticas, que incluem incentivo a experimentação, pesquisa, desafio intelectual, descoberta, solução de problemas e projetos interdisciplinares. “Essas estratégias respeitam as diferenças e o ritmo de aprendizagem de cada aluno, cujo objetivo é o trabalho por meio da afetividade e do senso cooperativo”, detalha Fernanda Andreello, vice-diretora do Colégio PoliBrasil.

Para isso, o Colégio PoliBrasil estruturou espaços, materiais e estratégias de ensino e aprendizagem que fazem com que o aluno sinta prazer em aprender, sendo ativo no processo ensino-aprendizagem e que sua capacidade intelectual seja constantemente exercitada por meio da curiosidade, ludicidade, investigação, reflexão, análise crítica, imaginação, criatividade, autonomia moral e intelectual nas dimensões individual e coletiva.

“A aprendizagem ativa faz com que o aluno adquira mais autonomia, desenvolva a autoconfiança e enxergue o aprendizado como algo prazeroso, natural e tranquilo. Com isso, ele se torna apto a resolver problemas e se prepara para os desafios da vida adulta”, completa Fernanda.

Para a mãe de Stephany Rayane Cardoso Cantuária, aluna no ensino fundamental do Colégio PoliBrasil, o método ativo fez com que a filha dela se envolvesse mais com as aulas e absorvesse os conteúdos com mais naturalidade. “Os métodos ativos aplicados no ensino do colégio torna o aprendizado das crianças cada dia mais atraente, o que é importante para que os alunos se interessem em aprender e assim consigam ótimos resultados. A minha primeira alegria foi ouvir da Stephany em sua primeira semana de aula, que ela quer estudar no Colégio PoliBrasil até o Ensino Médio. E hoje, ela nos fala que não gosta do fim de semana pois não tem aula, então esse retorno que ela nos passa é incrível.”

Segundo a vice-diretora, foi um grande desafio aplicar os sistemas ativos ao ensino fundamental I e II do Colégio PoliBrasil. “Não é fácil inovar na educação, pois, para se trabalhar com metodologias ativas, é fundamental romper estruturas engessadas de ensino, repensar os sistemas arcaicos e, muitas vezes, ineficientes. Essas mudanças impactam, especialmente, o papel do docente, tornando-o muito mais que um transmissor de conteúdo, mas, um mediador do conhecimento. ”

As metodologias ativas de ensino, além de melhorarem a qualidade da aprendizagem, motivam os alunos a serem mais participativos nas aulas, impulsionando seu desempenho, interesse e capacidade de assimilar o conhecimento. “Elas têm o objetivo de transformar as salas de aula em experiências vivas de aprendizagem, motivando os alunos, os tornando mais criativos e autônomos”, enfatizou Fernanda.

A própria BNCC (Base Nacional Comum Curricular) alterou, em 2017, seu conjunto de aprendizagens essenciais e indispensáveis a que todos os estudantes têm direito de adquirir e devem desenvolver ao longo da vida escolar, por meio do desenvolvimento de competências. As competências citadas no documento dizem respeito à formação de cidadãos mais críticos, com a capacidade de aprender a aprender, de resolver problemas, de ter autonomia para a tomada de decisões, cidadãos que sejam capaz s de trabalhar em equipe, respeitar o outro, o pluralismo de ideias, que tenham a capacidade de argumentar e defender seu ponto de vista.

“Com os métodos ativos, minha filha passou a chegar em casa mais motivada. Agora ela gosta de falar o que aprendeu e parece ter ferramentas mais eficientes para aprender, desenvolveu sua capacidade para argumentar e pensamento crítico, melhorando sua autonomia intelectual”, revelou a mãe da aluna Sophia do Carmo Leite Rafael.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *